24 setembro 2006

A ditadura pró-globalista e pró-totalitária imaginada urbi et orbis pela borregã escarlate, assenta nos seguintes alicerces...

UMA ÚNICA CULTURA: a do ter.

UMA ÚNICA MORAL: a da aparência.
UMA ÚNICA CIÊNCIA: a lixologia.
UMA ÚNICA POLÍTICA: a dejectocracia.
UMA SÓ LEI: a do mais forte.
UM SÓ JULGAMENTO: toda a bondade será castigada!
UMA SÓ AMEAÇA: Ai dos fracos!
UM SÓ OBJECTIVO: Comer a Terra inteira antes que ela nos coma a nós.
UMA SÓ INDÚSTRIA: a máxima produção de pobres para o menor número possível de ricos. UMA SÓ LÍNGUA: a viperina.
UM SÓ IDIOMA: Não, não é o esperanto, nem é o inglês. É muito simplesmente o economês. UM SÓ ENTENDIMENTO: Cristo e Madona equivalem-se: a verdade e a mentira são produtos descartáveis, totalmente arbitrários e intermutáveis.
UM ÚNICO WAY OF LIFE: consome e sê feliz; ou não consumas e desaparece, que estás a mais. UM SÓ OLHAR: só de olhar e não de ver: analógico hoje, digital amanhã; 100 hertzs, 6x9 Pal Plus;
UMA ÚNICA RELIGIÃO: Total e verdadeira, em que o dólar é Deus e o Tio Sam o seu profeta e quem não crê maldito seja.
UM SÓ PENSAMENTO: rasteiro, linear, acrítico; pós-moderno, amoral e inumano.
UMA SÓ BANDEIRA: Todo o êxito se justifica por si mesmo; o sucesso é o Bem, o insucesso é o mal.
UMA SÓ VONTADE: Vencer é preciso, viver não é preciso.
UMA SÓ PALAVRA DE ORDEM: Morte aos vencidos e a quem os apoiar!
UMA SÓ RAZÃO: a que vem do céu, que é o mercado.
UMA SÓ FÉ: a que vem da tripa.
UM SÓ JEITO: o do pé que esmaga.
UMA SÓ PRÁTICA: a da rasteira.
UMA SÓ ECONOMIA: o Princípio do Robin dos Bosques, mas ao contrário.
UM ÚNICO PODER: o da canhoneira, que é coisa antiga, mas sempre eficaz. E tudo isto impregnado de mau cheiro e debruado de mau gosto.

Abdul Cadre

3 comentários:

Dialógico disse...

É a Ditadura do Formato único, da uniformidade imposta.

É a Ditadura da aparência, pois mais vale o que parece.

É a Ditadura da posse (do ter), do consumismo, do negócio...

... que esquece
a diversidade,
a verdade,
e o ser.

Dos discursos humanistas do século XX, passámos aos discursos economicistas; dos princípios democratas passámos a uma opinião pública manipulada, por uns quantos Senhores donos dos Jornais e das Televisões.

Que pena!
Afinal pouco ou nada aprendemos com a História. Todas ou quase todas as conquistas do século XX foram "por água abaixo".

Temos que voltar atrás; rebobinar a História e fazer a Revolução.

dialogicopontocom.blogspot.com/

Anónimo disse...

... sim, e em nome da Globalização, da Economia de Mercado, da Competição, da chamadas Democracias Modernas, etc, etc, mascara-se a verdade e mente-se às pessoas. E assim, em nome de ficções camufladas de verdades inquestionáveis se fazem as politicas deste novo Mundo. Mundo novo que de novo pouco tem, porque eu já ouvi isto, mas com outros nomes, nos tempos em que uma só palavra dizia tudo: CAPITALISMO!

Cada vez faz sentido o revivalismo da FLAV (Frente de Libertação de Alhos Vedros).
Pela Independência e pela Verdade!

Luís Mourinha

Edições Casa de Estudos de Alhos Vedros (CEAV) disse...

Caro 12ºB, gostei do conteúdo e da colocação das palavras, mas creio que não é possível viltar atrás e que a Revolução deve começar por ser feita dentro de cada um de nós. O único problema é que a vitória dos mediocres trás mediocridade, sobretudo, para eles próprios. Mas não para todos...

Creio que a FLAV continua bem viva para bem do Mundo, embora atravesse alguma falta de unidade dados os divisionismos partidários. Capitalismo e Globalização são a realidade. A bem da Verdade, veremos o que cada um lhe consegue acrescentar. Mais aquele grande abraço para o Luis Mourinha.