27 março 2008

"Vital Palco da Vida"

A Vida é um Teatro...
O Quotidiano o Palco...
O Horizonte o Cenário...
A Palavra é o Guião...

A Vida é uma Peça...
Os Actores são os Sêres...
Os Vestiários estão à Vista...
A Indumentária é a pele do Corpo...

A Vida é um Filme...
As Câmaras captam Imagens...
O Director advém das Circunstâncias...
O Texto segue o dom da Actuação...

A Vida é um Papel...
As Folhas desenrolam-se pela Estória...
O Observador funde-se como o Escritor...
O Leitor amalgama-se no espírito do Cineastas...

A Vida é um momento Lúdico...
O Interpretar é uma benção Divina...
A Poesia entra em todos os Actos...
O Declamador interioriza-se pleno nos Versos do Poeta...

Escrito em Luanda, Angola, a 26 de Março de 2008, em Homenagem aos Homens e Mulheres que escrevem as Estórias e aos Cineastas e Gente das Artes Dramáticas (Teatro), que reproduzem essas Estórias através do Papel da Actuação/Representação ao Vivo ou por meio do Filme ou dos Meios Televisivos, etc...

Ainda continuamos a Recordar a Causa Maior do Apelo Incondicional à Libertação do Tibete pela China...
Lembramos que, a Inglaterra, num acto considerado justo de digno, devolveu sua ex-colónia chinesa, Hong Kong, de volta ao seu reconhecido dono, a China...
Ainda, recordamos que, Portugal, entregou a sua antiga possessão, Macau, oferta da China por reconhecimento da ajuda que Portugal lhe deu para se livrar da ameça de filosteiros e piratas, que frequentemente atacavam as costas chinesa...
Se assim foi, e na mesma Senda Digna, porque não poderá a China fazer algo indêntico, com o gesto meritório e honroso, ao entregar o Tibete aos seus legítimos donos, os Tibetanos, para que possam viver como um Povo Digno de sua sagrada terra e de sua ancestralidade cultural própria e específica?...

Como o Honorável Dalai Lama, também somos adeptos da Paz e da Racionalidade Consciente, como meio para atingir bons e positivos propósitos.
A violência somente atrai a violência e o endurecimento das posições, sobretudo, que quem tem o músculo e a força brutal e mortal dos instrumentos de repressão e contenção!...

25 março 2008

Entre o Tudo e o Nada

5. Modern Words

Está-se bem na Espiral.

Na Praça Ilha do Faial
em Lisboa, mesmo juntinho
ao Jardim Cesário Verde
que por sinal é bem verdinho.

Cantinhos urbanos que muito enriquecem a vida
de quem lá passa.
Há lugares que são lições de vida,
é neles que realmente vale a pena viver.

A pena?...

24 março 2008

tisana love

Magnífico, acolhedor, pleno de bom gosto, não deixe de visitar em Grândola o CENTRO TISANA, com serviço terapêutico alternativo, loja de produtos naturais e restaurante vegetariano, em serviço de reconhecida categoria, onde a Amizade e a Poesia não são palavras vãs. Veja o clip promocional clicando AQUI.

P.S.: É um clip promocional, ainda em edição experimental... A versão final está em fase de projecto.

23 março 2008

VI CICLO AGOSTINIANO - AÇORES

NOTA DE IMPRENSA
21 de Março de 2008

VI CICLO AGOSTINIANO - AÇORES
BIOSFERA
27 a 29 de Março de 2008
ILHA GRACIOSA

A FaiAlentejo volta a empenhar-se na organização do VI Ciclo Agostiniano - Açores, que decorrerá, como é do domínio público, de 27 a 29 de Março de 2008, na ilha Graciosa.
Este evento é aberto a toda a gente.
No Primeiro dia – 27 de Março de 2008 - provocaremos uma tertúlia onde poderemos conhecer melhor: o homem, o filósofo, o visionário, enfim Agostinho da Silva.
No Segundo dia – 28 de Março de 2008 – no Centro Cultural da Graciosa faremos o Encontro sobre a BIOSFERA, onde participam vários oradores. Será aberto pelo Exmº. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz da Graciosa. No final do dia poderemos assistir ao filme “Agostinho da Silva Ele próprio” de António Escudeiro.
No Terceiro dia – 29 de Março de 2008 – Partilharemos uma Função do Espírito Santo, com desfile das Irmandades e dos Foliões da ilha Graciosa. No final da mesma serão lidas as conclusões do Encontro sobre a BIOSFERA.
Para terminar em beleza assitiremos a um Momento Musical no Centro Cultural da Graciosa onde imperará Manuel Freire.
Durante o ciclo haverá:
Feira de Livros de Agostinho da Silva (recentemente editados) e da FaiAlentejo.
Exposição Bibliográfica constituída pelas obras de Agostinho da Silva.
Exposição “Agostinho da Silva – Pensamento e Acção”.

De realçar a presença neste VI Ciclo Agostiniano – Açores de:
Paulo Borges, Professor do Departamento de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde trabalha nas áreas de Filosofia da Religião, Filosofia em Portugal e Antropologia e Cultura e integra o projecto de investigação “A Filosofia e as Grandes Religiões do Mundo”. Membro e investigador do Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, onde coordena o projecto “Agostinho da Silva: estudo do espólio” e integra o projecto “A questão de Deus. História e Crítica”. Doutorou-se em 2000 com uma dissertação sobre Metafísica e Teologia da Origem em Teixeira de Pascoaes.
Helena Briosa e Mota, é professora do 2º e 3ª ciclos do Ensino Básico. Dedica-se à investigação da obra pedagógica de Agostinho da Silva, objecto da sua tese de doutoramento, em curso. É responsável pela edição dos volumes de Pedagogia integrados nas Obras de Agostinho da Silva (Lisboa, Âncora Editora e Círculo de Leitores, 1999-2003).
Mário Cabral, licenciado em filosofia, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (1986). Doutorado com a tese em: Via Sapientiæ: da Filosofia à Santidade – a Matriz Cristã do Pensamento Contemporâneo Português a partir de Delfim Santos, Teixeira de Pascoaes e Agostinho da Silva. Professor na Terceira.
Magda Carvalho, é Assistente no Departamento de História, Filosofia e Ciências Sociais da Universidade dos Açores. Tem leccionado as disciplinas de Filosofia em Portugal e Filosofia Moderna, da licenciatura em Filosofia.
Jorge Mangorrinha, é licenciado em Arquitectura, pela Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa, e Mestre em História Regional e Local, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. É doutorando em Urbanismo, na Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa. Pertence aos quadros técnicos da Câmara Municipal de Lisboa e é Coordenador Científico do Rastreio e Levantamento dos Conjuntos Termais Portugueses (Ministério da Cultura).
Maria Eduarda Rosa, professora. Artista plástica. Comissária dos Ciclos Agostinianos - Açores.


Agradecemos a melhor Divulgação.

O Nosso Bem Hajam!

FAIAlentejo

22 março 2008

"Sintaxe D'Escrita Do Perdão"

Desculpem-me os que escrevem bem e muito
Perdoem-me aqueles que rabiscam à toa e menos
Não me levem a mal esses que são intelectuais
Façam que não notam minha leviandade exagerada
Por favor excusem-me pelos erros semânticos e ortográficos
Finjam não ver minhas faltas gramaticais e de pontuação
Ensinem-me a riscar as palavras de forma correcta
Digam-me em surdina como se deve colocar as sentenças
Apontem-me as frases mais coloquiais e significantes
Façam-me sentir o sentido de cada verbo e de cada acento
Guiem-me a pena ou a escrita para termos bem definidos
Levem-me a o punho a alinhavar como deve ser o texto
Orientem-me na divisão das sílabas e visualização dos símbolos
Coloquem-me na mão o pincel e o tinteiro de tinta da china
Escreverei ou desenharei tantos quantos caratéres forem possíveis
Emprestem-me o cinzel e o masso para que grave hieróglifos mentais...

...Nas pedras espessas e nas folhas de Papel desse fluídico Tempo desfolhado...

Escrito em Luanda, Angola, aos 21 de Março de 2008, em Dedicação ao Dom e ao Privilégio da Escrita, que afinal, é dos atributos mais perfeitos dentre todos os que nos são emanados/reflectidos, por vias do fluxo vital da energia espírito e por meio do pensamento, pela Criadora Divina Alma/Inteligência/Consciência Cósmica comum...

20 março 2008

Tudo, e mais além

4. Lá

Não há dor

só amor.

É por uma trilha estreita
um foco de luz
é o Nosso Senhor Jesus
para mim
é Maria
é todo o dia e toda a hora

como lhe chamas tu?


É redenção
nem a dormir nem acordado
é mais do que alegria
é mais que a luz do dia
é estar calado
é uma lágrima de Mãe
por ti

é um absolutamente contido
e contigo
é sem princípio nem fim


É um calor no peito
é silêncio que irradia
harmonia
ligação
encontro

passa a ser cá
é a gente mansa
o olhar de uma criança
mais do que a felicidade



É fogo que arde sem se ver
e pode ser
leve coisa, coisa nenhuma
ultra suavidade
serenidade
lá que é cá
e é em todo o lado
é um campo unificado
inter-relações cósmicas
que vão daqui


É uma mentalização
é ser e querer
é querer ser
puro
mais do que singela
é Ela

a rezar
a pedir por cá
a pedir a quem?
a pedir a ninguém


Nada existe
por cá
só ilusão
uma roda que gira
que gira
efémera
legados dos antepassados
e grandiosa
porque é a sombra de lá
lá que é cá,
lá.

19 março 2008

18 março 2008

ONTEM POR TIMOR, HOJE PELO TIBETE!

Concentração e Vigília em frente à Embaixada da República Popular da China, 4ª feira, 19 de Março, a partir das 18.30 (R. São Caetano, 2, Lisboa, à Lapa).

Perante os graves acontecimentos que ocorrem em Lhasa e noutros pontos do Tibete, em que já perderam a vida mais de 100 pessoas, só possíveis devido a quase 60 anos de brutal ocupação, opressão e violação dos direitos humanos por parte do governo chinês, convocamos todos para uma concentração e vigília de solidariedade com o povo tibetano, a favor do fim da repressão e da violência e do respeito pelos direitos humanos no Tibete.

Apelamos a todos os órgãos de comunicação social que nos ajudem a divulgar esta iniciativa e a todas as organizações cívicas e humanitárias que se juntem a nós.

Quando os governos, as Nações Unidas e os poderosos deste mundo permanecem indiferentes, desprezando as causas humanitárias em prol dos interesses económicos, cabe aos cidadãos indignarem-se e solidarizarem-se com os seres humanos como nós que estão a ser violentados e oprimidos. Exijamos do nosso governo, que ocupa a Presidência da União Europeia, que exorte a comunidade internacional a mobilizar-se.

Recordamos que está on line uma Petição para que a Assembleia da República aprove, de acordo com os princípios fundamentais consagrados na Constituição da República Portuguesa, uma moção de censura à sistemática violação dos Direitos Humanos e das Liberdades Política e Religiosa no Tibete, por parte do Governo Chinês.

Esta petição já excedeu numa semana as 1600 subscrições e, com a ajuda de todos, chegará às 4000, o que tornará obrigatória a sua discussão na Assembleia da República.
http://www.PetitionOnline.com/Tibete08/petition.html
Não faltes ! Traz uma vela e um Amigo ! Ontem por Timor, Hoje pelo Tibete !


ORGANIZAÇÃO:

Grupo de Apoio ao Tibete http://grupodeapoioaotibete.blogspot.com/
União Budista Portuguesa Tel: 21 363 43 63 (www.uniaobudista.pt)


CONTACTO (Media):

Tm: 91 811 30 21

12 março 2008

Nada

3. Ser em forma de não ser

Saber ser a parte do ser que se é
Deixar de saber
Procurar e achar
Perder
Ganhar

Saber sempre ser a parte possível do ser que se é
Esquecer e não encontrar
Reencontrar o jeito de lá chegar
Silenciar

Saber ser o que se é
sendo sempre pouco,
sendo tanto

Saber que se é, não sendo.

11 março 2008

Então são góticos...

Eis um casal de namorados gótico de Dewsbury, norte de Inglaterra. No passado fim-de-semana foram impedidos de viajar num autocarro porque Dani passeia a sua namorada de trela.A BBC News conta que o casal acusa a transportadora Arriva de discriminação. O condutor do autocarro rejeitou a entrada de Dani e Tasha, alegando que a trela iria por em risco a segurança dos restantes passageiros em caso de travagem brusca. O caso está a ser investigado pela Arriva, empresa «que leva muito a sério qu acusação de discriminação», segundo um responsável da empresa, Paul Adcock. Adcock acrescentou que a Arriva irá «pedir desculpa aos jovens por algum inconveniente causado pela forma como o assunto foi tratado». A rapariga diz que este foi um caso «claro de discriminação, quase como um crime de ódio», contou ao Daily Mail. A jovem de 19 anos descreve-se como um «animal de estimação humano».«Comporto-me como um animal e tenho uma vida bastante calma. Não cozinho nem faço limpezas e não vou a lado nenhum sem o Dani», explicou.Tasha defende o seu estilo de vida acrescentando que «não fere ninguém» e que o casal é feliz assim, independentemente de quão estranha esta relação pareça.

Fonte: Portugal Diário
Lisbon Story

09 março 2008

Homenagem: Março, Mulher, Margarida

Em tôrno da Jovem Democracia e da Jovem Nação, nós todos os Lusófonos, de Macau a Malaca, de Goa ao Brasil, de Portugal a Moçambique, da Guiné-Bissau a Angola, de Cabo-Verde a São Tomé e Príncipe e passando por todas as Diásporas da Lusófonia que vão desde os Sefarditas de Israel aos Emigrantes de todos os Países Lusófonos espalhados pelo Mundo, assim como em demonstração de pleno apoio de Ss.Exas o Presidente Ramos Horta e o Primeiro Ministro Xanana Gusmão, “Estamos Juntos” e solidamente unidos..., não devendo nunca apoiar situações de resolução de diferendos ou querelas sociais, de forma violenta, pois, devemos todos primar pelo comportamento e pensamento da Paz...

Agradecêmos o imenso esforço, fé e boa vontade demonstrados pela incansável e Mui Prezada Irmã Amiga Margarida Castro, fundadora da ELOS no Brasil e que ora está espalhada pelo espaço Lusófono no Mundo, que tem de forma exemplar e formidável, espalhado todos os sentidos da deversidade cultural que faz da Lusófonia um dos mosaicos culturais mais interessantes, ricos e fascinantes deste nosso Mundo Global em constante transformação, e sempre, sem perder de vista, o verdadeiro espírito da Paz Profunda entre todos os Sêres Vivos do Planeta Terra, sejam eles Animais, Vegetais ou Humanos...

Se tivéssemos tal poder de influência e decisão, modéstia à parte, seríamos a escolhê-la extraodináriamente, como uma das Candidatas ao Nóbel da Paz, com um complemento adicional honroso, de Promotora Cultural da Lusófonia, por excelência...

Um sincero e respeitoso abração da e pela ínfima Lusófonia que nos diz respeito, a esta “MULHER” com letras grandes, em continuidade à Homenagem ao Mês Março/Mulher...

manuel de sousa
Luanda – Angola

05 março 2008

quase Tudo. quase Nada

2. A Síntese da Luz

Uma gota de água
um raio de luz e truz
num cantinho de terra
qualquer coisa germina
auto-suficiente, cresce para cima
e é verde

Uma gota de água e um raio de luz
e truz
respira no ar
o nosso respirar
o nosso sustento

É um milagre vulgar
a síntese molecular
o nosso verdadeiro patrão
a nossa esperança de vida
uma gota de água e um raio de luz
e truz.

04 março 2008

Alentejo # 14


Foto de Raul Costa

A experiência do absoluto na espiritualidade oriental / Marcha pacífica de protesto contra a violação dos direitos humanos no Tibete

Caros Amigos, falarei amanhã, 5 de Março, pelas 18.00, sobre "A experiência do absoluto na espiritualidade oriental (hindu, budista, taoísta)", no Auditório dos Amigos dos Castelos, R. Barros Queirós, 20, 2º, Lisboa (junto ao Rossio / Martim Moniz). A entrada é livre. Informações: tel. 218885381.Mas convido-vos sobretudo para a Marcha Pacífica de Protesto Contra a Violação dos Direitos Humanos no Tibete, na próxima 2ª feira, 10 de Março, com concentração no Rossio, pelas 18.30, de onde seguiremos para o Largo de Camões e para o Cais do Sodré. A organização é da União Budista Portuguesa e da Songtsen - Casa da Cultura da Tibete, com o apoio da Secção Portuguesa da Amnistia Internacional, e está devidamente autorizada pelo Governo Civil.

Contacto para os Media: 918113021.

Apareçam e divulguem ! Não basta estudar e meditar, é também preciso agir exteriormente, enquanto no mundo houver quem sofra.

Abraços
Paulo Borges

"Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes mas, não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo, e posso evitar que ela vá à falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios,incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não". É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho? Guardo todas; um dia... VOU CONSTRUIR UM CASTELO..."

01 março 2008

"Creio na verdade fundamental de todas as grandes religiões do mundo. Creio que são todas concedidas por Deus e creio que eram necessárias para os povos a quem essas religiões foram reveladas".

Mahatma Gandhi, advogado, filósofo, pacifista, IND, 1869-1948