31 agosto 2007

Padre António Vieira, 400 anos

Em 2008 faz 400 anos que nasceu o padre António Vieira (1608-1697), um dos maiores escritores de língua portuguesa; cosmopolita português e brasileiro, precursor dos Direitos Humanos (a causa judaica), humanista que sofreu e se revoltou contra a prioridade dos interesses políticos e económicos sobre indígenas primitivos e indefesos (luta contra a escravatura), foi também um homem de negócios que geriu para sobrevivência dos autóctones um território tão vasto como duas vezes a Península Ibérica; diplomata, partilhou a companhia e a mesa de reis e papas no meio de intrigas palacianas dos países mais ricos e poderosos da Europa; político lutador, aguentou a pressão ideológica da todo-poderosa Inquisição; visionário de uma identidade única e original e de uma cidadania global, concebeu um utópico Quinto Império onde havia lugar para todos, mesmo nos tempos mais difíceis.

O padre António Vieira nasceu em Lisboa a 6 de Fevereiro de 1608, no reinado de Filipe II. Seu pai emigra e a família junta-se em 1614 em Salvador da Bahia. Entra para o Colégio dos Jesuítas em 1623 e em 1634 é ordenado padre. Em 1641, após a restauração da monarquia portuguesa, acompanha o filho do vice-rei a Lisboa, grangeando a amizade e confiança do rei D. João IV que o enviou em difíceis e perigosas missões a França, Holanda e Itália durante 11 anos. Em 1653, desiludido da corte, inicia nova fase da sua vida nas missões do Maranhão e Grão Pará, onde o sucesso da cristianização dos Índios e a luta pelos direitos dos autóctones à liberdade lhe acarretam inimizades e perseguições, sendo preso em 1661, enviado para o reino, encarcerado e sentenciado pelo Tribunal da Inquisição. Libertado em 1667, segue para Itália, onde frequenta a corte da rainha Cristina da Suécia e a Cúria Romana, exibindo a sua erudição e os seus dotes de orador. Regressa a Portugal em 1675. Viveu 36 anos na Europa, 20 dos quais ao serviço da coroa portuguesa. Em 1681, aos 73 anos, regressa a Salvador da Bahia que o viu crescer, onde aperfeiçoa o texto dos seus Sermões e continua a luta até ao fim da vida, aos 89 anos, pelos seus ideais e utopias.

in, http://www.ua.pt/vieira2008/PageText.aspx?id=5062



30 agosto 2007

28 agosto 2007

Luzernas

Convite


Milhos Transgénicos em Portugal

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA AGRICULTURA – C N A
Filiada na Coordenadora Agrícola Europeia, CPE (BRUXELAS)

À Comunicação Social :

MILHOS TRANSGÉNICOS EM PORTUGAL . O PROBLEMA COMEÇA COM A LEGALIZAÇÃO DO CULTIVO...

Muito tem estado na “ordem do dia” o caso da destruição, no Algarve, de um hectare de “milho” transgénico na propriedade de um Agricultor. A Confederação Nacional da Agricultura, CNA, não avaliza o acto em causa. Mas a CNA também não pode deixar de salientar :

- Em Portugal, o problema com “milhos” transgénicos agrava-se com a autorização legal para o respectivo cultivo através da chamada lei da “coexistência” entre o cultivo de milhos convencionais e de “milhos” transgénicos. Legalização promovida pelo MADRP e pelo Governo Português de forma precipitada, desnecessária e desaconselhável, aliás tal como se tem assinalado desde 2004/05. De facto, Portugal não precisa de “milhos” transgénicos.

- A partir de tais princípios, a CNA promoveu e participou, no passado recente, em diversas iniciativas de reclamação e protesto com o objectivo de esclarecer melhor a opinião pública acerca de tudo daquilo que está em jogo e, mesmo, de travar a legalização do cultivo de “milhos” transgénicos.

- CNA considera que este processo ainda não está encerrado e tudo vai continuar a fazer para inverter, democraticamente, a presente situação tendo em conta o interesse estratégico nacional e, mesmo, a defesa da saúde pública.

- O Ministério da Agricultura, que tão célere quis ser na autorização dessa alegada “co-existência”, entretanto, e já lá vão dois anos, ainda não regulamentou completamente o respectivo decreto-lei, por exemplo, com a criação do “fundo de compensação” para o caso de se indemnizar Agricultores cujas culturas de milhos comuns sejam contaminadas pelos transgénicos com cultivo autorizado.

- No contexto, surgem pois como manifestamente empoladas e muito parciais quer a reacção do MADRP e do Governo quer as reacções de alguns sectores sociais e políticos.

- C N A , reafirmando que não avaliza a acção em causa, também afirma que há outros problemas a causar graves prejuízos aos Agricultores Portugueses, sem que o MADRP e o Governo dêem mostras de estar empenhados na efectiva resolução desses mesmos problemas.
- E entre outras medidas urgentes a tomar pelo MADRP e pelo Governo Português, deveria estar incluída a da suspensão da autorização para o cultivo de “milhos” transgénicos.

Coimbra, 23 de Agosto de 2007 // A Direcção Nacional da C N A

26 agosto 2007

Observatório Solar em Constância

Centenas de curiosos e amantes da astronomia estiveram hoje presentes na inauguração do Observatório Solar no Centro de Ciência Viva de Constância (CCVC) - Parque de Astronomia.

in, http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=22982&op=all

21 agosto 2007


Os Foliões no You Tube

«Esqueçamos quem julgamos que somos ! Tudo o que habitualmente fazemos, dizemos, sentimos e pensamos ! Fiquemos disponí­veis ! Declaro abolido o mundo e aberta a Função ! A Folia vai começar !»

Os Foliões http://www.youtube.com/watch?v=XOoEQS1zqPU no YouTube

A Fundação Cultursintra apresenta: Folia!Mistério de uma Noite de Pentecostes
Texto: Paulo Borges
Encenação: Rui Mário
Pelo Teatro TapaFuros

«Que a Loucura reine nesta terra de Portugal,
Cheia de gente cinzenta, séria e triste,
A esquecer-se do mal que existe
Com choques tecnológicos,
Consumismo e futebóis
À falta de outras armas em riste ! »

Quinta da Regaleira - Sintra
de 5 de Julho a 8 de Setembro
5ª a Sáb.: 22h Dom.: 20h Últimas Semanas
espectáculo ao ar livre de carácter volante
aconselha-se agasalho e calçado confortável
espectáculo aconselhado para maiores de 12 anos.

Paulo Borges

Noites Mestiças

NOITES MESTIÇAS - MUSIDANÇAS
CABARET MAXIME
23 de Agosto
5ª Feira
23.00 HORAS
Bob da Rage Sense & F.M. (Angola)

Bob Da Rage Sense (vem das suas influências - Bob Marley, Rage Against da Machine e Common Sense), nasceu em Luanda (Angola) em 1982.Em 1994 Bob integra- se na cultura hip-hop somente como ouvinte de grupos como Public Enemy, Beasty Boys, Boogie down productions, entre outros.
(...)
Bob Da Rage Sense já tem o seu álbum “Menos Pão Luz e Água” nas lojas e conta com produções de Sam The Kid e Laton (Kalibrados) e também com participações de Dino (Expensive Soul), Nel’Assassin, Looptroop (Promoe e Supreme, um dos grupos europeus de hiphop mais fortes), Mundo, Maze, Fuse, Sir Scratch, Vui Vui, Laton, Salvaterra entre outros.

“Menos Pão, Luz e Água” provém da sigla – M.P.L.A; “é o que o partido tem dado à população angolana”.

Firmino Pascoal

A Língua Portuguesa e o Castelhano

Mário Soares, antigo presidente português, expôs (dia 4 de agosto), no jornal espanhol El País, que Portugal é três séculos mais antigo do que Espanha., "tem forte identidade cultural e lingüística", sendo que convivemos na Península " com interesses comuns, fortes laços culturais e objetivos convergentes na União Européia, América Latina e em outras áreas", mas, " do ponto de vista português, a integração política peninsular não está próxima nem é desejável para qualquer das partes". Soares estimula " as convergências estratégicas, a solidariedade e a liberdade-nada une mais pessoas e povos".

Fonte:coluna Ângulo de Fora, Sena Santos,Jornalista, Diário de Notícias 18.agosto.2007

17 agosto 2007

Geometria Relacional


Diálogos Lusófonos

Portugal e Espanha, apesar de pequenos no mapa europeu, possuem enormes geografias culturais e incontáveis mentes brilhantes. Nos meus cinco anos morando entre os dois países pude descobrir isto de perto e ter o prazer de conhecer de perto alguns trabalhos criativos que marcaram e ainda marcam o meu percurso profissional.

No campo da Lusofonia, aquela que acredito ser a comunidade, e ao mesmo tempo, o movimento que busca a união dos povos que têm por afinidade a nossa língua portuguesa, testemunhei a existência de alguns trabalhos em Portugal... seminários, palestras e conversas académicas. Já na Espanha, o respeito e o interesse pela nossa língua , agora na opinião dos meus professores de Salamanca, tem sido gradativamente maior. Para comprovar isto temos programas como o do Banco Santander, Alban (a terminar) entre outros. Os preconceitos também vem diminuindo sensivelmente tendo em conta que estas sociedades estão a mudar e a pirâmide
etária a modificar-se.

Na Espanha Galega os movimentos pró Lusofonia são mais visíveis. Quem tiver a oportunidade de visitar a Universidade de São Tiago de Compostela poderá comprovar isto numa conversa com os académicos, por exemplo.

Em Portugal a Lusofonia é necessária. O despertar da importância na sociedade portuguesa é algo que não só contribuirá para o movimento em si como para os que vivem neste país delicioso, refúgio europeu veraneio e guardião de certos valores que infelizmente não encontro em todos os cantos do meu Brasil. Valores que se perdem com o tempo talvez, valores que aprendemos ou interpretamos de uma forma diferente. Enfim, as diferenças também existem para nos guiar rumo ao que somos, creio.

Em Portugal, Lisboa é negra também (ver livro de Jean Ives Loude); a comida portuguesa é servida com história e com novos sabores; a televisão já não descrimina como dantes, pelo contrário, está unir e a mostrar que a Lusofonia não é uma herança madrasta de tempos de conquista e exploração; o futebol, característica popular de muitos países, transformou, transforma, e se transforma dentro da nação Lusa-Mãe. Felipe Scollari mostrou que alegrias podem ser trocadas através deste esporte: bandeiras nacionais nas janelas portuguesas existentes até hoje em muitas casas, colocadas ali espontâneamente depois do apelo do "estrangeiro" "Felipão" no Euro 2004"... isto não faz pensar? A mim faz, assim como emocionar-me. Emociono-me quando entro numa casa cabo-verdiana e assisto uma telenovela brasileira, uma torcida vibrante num jogo do BenficaXSporting, num bar guineense, ou quando escuto um timorense nas ruas de Coimbra a falar seu dialecto (Tétum) e o português numa conversa animada. Isto é Lusofonia!

A criatividade é uma característica de todos os seres humanos. Direccionada para fins positivos ela pode ser esclarecedora e unificadora. Ela pode ser tudo, e através dela podemos materializar o que nós sonhamos e acreditamos. Procurarei estar mais presente neste fórum, fruto de uma outra mente criativa e sonhadora e composto por mais outras mentes que também criam e recriam a Lusofonia a cada post. Atendendo o pedido da nossa estimada Margarida apresento-lhes a criatividade de apenas mais algumas mentes desta enorme colcha de retalhos lusófonos espalhada pelo mundo, o projecto
acaminhodalusofonia.org

Sem mais, despeço-me
Saudações lusófonas

Claudio Vaz


(in, dialogos_lusofonos@yahoogrupos.com.br )

Holy Week


Foto de Raul Costa

Vidas Lusófonas

VARANDA SOBRE O TEMPO E O VASTO MUNDO

de

VIDAS LUSÓFONAS
http://www.vidaslusofonas.pt

David Mourão Ferreira

13 agosto 2007

Musidanças


NOITES MESTIÇAS NO MAXIME

http://www.musidancas.blogspot.com/

Guimarães


UM TEXTO NO ROSTO DAS NAÇÕES

DO PONTO EM QUE AS NAÇÕES SE ENCONTRAM... PARTIMOS PARA A DIGNIDADE CULTUAL DOS POVOS

A nossa nação, Portugal, tal como qualquer nação, carrega consigo o peso da influência estrangeira.

A nossa economia, o nosso poder negocial, o nosso comércio, o nosso sistema de cuidados de saúde, o nosso sistema de educação, estão de certa forma pesadamente influenciados por elementos estrangeiros.

É claro que o nosso governo, tal como qualquer outro governo, se encontra da mesma forma sob influência estrangeira.

Nós somos uma nação livre apenas num sentido estreito e, somos sempre jogados como uma bola de futebol em situações e circunstâncias advindas de influência estrangeira. A nossa liberdade e dignidade cultural básica encontram-se sempre sob indevida pressão estrangeira.

O nosso governo é sempre motivado pela consciência colectiva da nação; Quer o compreendamos ou não, está sempre sob influência estrangeira.

Com esta situação, nós que temos o conhecimento para elevar a nação à invencibilidade, sentimos muito desconforto, dia e noite e, sob esta inevitável insustentável influência estrangeira, queremos levantar-nos e fazer tudo o que seja possível fazer para erguer a nossa nação a um alto nível de integração, liberdade e invencibilidade.


eduardo espírito santo

Ponte da Barca


Café Experimental

Menu “Justo” da Semana 13 de Agosto a 17 de Agosto

Segunda Feira
Seitan Guisado com Arroz de Cogumelos Silvestres

Terça Feira
Salada de Fusili “Justo” com Feta, Pesto , Tomate Seco e Azeitona

Quarta Feira
Feriado

Quinta Feira
Ratatouille de Legumes com Couscous

Sexta Feira
Lasanha de Espinafre e Ricotta

Sábado
fechado

http://www.cafexperimental.blogspot.com/