30 outubro 2008

O Largo da Graça

11. Ainda o Tibete...

Por ouvir falar em Teocracia, tenho para mim que Deus é Liberdade. Naturalmente, uma liberdade com regras, dada a necessiade de vivermos num Estado de Direito, onde a igualdade de todos perante a lei é (ou deveria ser) princípio basilar. Uma liberdade onde o processo de iniciação dos noviços seja feito de forma adequada para não deixar que ninguém se perca.

Desde a Revolução Francesa que temos vindo a aperfeiçoar um sistema político de democracia liberal, economia de mercado, capitalista, com maior ou menor intervenção por parte do Estado, sistema que saiu triunfante da "guerra fria", dada a súbita queda dos socialismos a leste, mas não de todos.

Os Socialismos hão-de voltar e veremos, lá mais para a frente, no que vai dar a aventura Chinesa deste Socialismo de Mercado. Esperemos que nos possa trazer um aperfeiçoamento que os liberalismos tardam em conseguir. Dizemos os liberalismos porque eles não são todos iguais se comparamos, por exemplo, o norte com o sul da Europa.

De facto, esta nossa democracia liberal tem tantas limitações que se torna exasperante. Faltam-lhe mecanismos que lhe garantam um melhor funcionamento e que lhe reduzam os incríveis demagogismos, os clientelismos partidários, o situacionismo de partidos (quer dizer, da realidade não ser inteira, íntegra), onde não seja necessário os políticos falarem aos gritos, numa indelicada poluição sonora, quais enganosos vendedores de banha da cobra.

Sente-se a falta de Algo, ou de Alguém, que esteja acima do Presidente, do Governo, dos Tribunais, mais lúcido, mais clarividente, que os possam orientar na sua limitada capacidade de gestão do tecido social. Esta inépcia política torna-se ainda muito mais gritante na administração autárquica.

Talvez no lugar de um Conselho de Estado devêssemos ter um Conselho de Sábios que muito úteis podiam ser nos desvarios mentais dos nossos líderes políticos. Talvez assim a Justiça legitimasse o Estado de Direito, a Educação formasse pessoas de eficaz participação social, os doentes tratassem da Saúde e o sustento desse muito mais para todos com muito menos trabalho.

Mas já agora, o que é um Sábio?

E não será que, com estas ideias, numa determinada perspectiva, nos estamos a aproximar de um sistema político teocrático? Ou será que é mais oligárquico? Bem, talvez seja mais de um anarquismo pacifista. E daí?

É claro que necessariamente as Agendas Políticas se adequariam definitivamente aos Direitos Humanos.

Luis Santos

24 outubro 2008

O Largo da Graça


10. Dalai Lama e Tibete

Tenho andado com o livro " O Ensinamento do Dalai Lama", escrito por Ele mesmo. Nele se diz que o Budismo é uma doutrina que visa a eliminação do sofrimento - de si próprio e de todos os seres. Como se poderá lá chegar? Através da meditação, da contemplação, da reflexão, respeitando todo um conjunto de princípios e de práticas que não vou enunciar para não tornar muito longo o comentário.


Talvez se possa dizer que a principal orientação dada nesses ensinamentos é de que se deve amar mais os outros do que a si próprio. Servir os outros constitui-se no Budismo como a principal regra de vida.

Logo aqui, a clara relação que se pode estabelecer com uma dos mandamentos da mensagem cristã, "Ama o próximo como a ti mesmo", permite perceber que a mensagem budista tem infinitos pontos de contacto com a mensagem de Cristo.

Faz pouco tempo, ouvimos na televisão o nosso Presidente da República, o senhor Aníbal Cavaco Silva, dizer que não recebeu Sua Santidade, porque não lhe chegou nenhum pedido nesse sentido. Também não disse que se o pedido chegasse o receberia. Mas lá que ele perdeu uma boa oportunidade de conhecer uma pessoa especial com quem poderia aprender mais alguma coisa como, por exemplo, abrir mais levemente o sorriso, e de mostrar ao país que os Portugueses sabem bem receber os ilustres visitantes que se dignam cá vir, disso parece não haver dúvidas.

As estrelas da companhia para o protagonismo neo-liberal são os ronaldos e companhia, sem ofensa para com o jovem futebolista. Mas quando se ignora um Homem que preza acima de tudo a compaixão, o amor e o serviço em prole da elevação comum, e se sobrevaloriza o pontapé na bola, então está tudo dito.


Quanto à causa do povo tibetano, devo confessar que não conheço muito bem a sua história, mas reconheço-lhe alguns pontos semelhantes aos da causa que guiou o povo Maubere à sua independência. Quer dizer, o direito de um povo poder decidir sobre o seu destino, num território que lhe foi usurpado pela força, parece-me uma causa de direito inalienável.

Ou será que estamos enganados?

Luis Santos

23 outubro 2008


CURSO DE INTRODUÇÂO À CULTURA BUDISTA 2008-2009


Atendendo ao crescente interesse e às solicitações do público em geral, e pensando também em criar as bases de formação para uma possível docência do Budismo nas escolas, conforme previsto na legislação em vigor, a União Budista Portuguesa, de forma semelhante a anos anteriores, vai realizar um Curso de Introdução à Filosofia e à Cultura Budista, aberto a todos os interessados. O curso, que se inicia neste Sábado, dia 25, decorrerá num total de 12 sessões, de 4 h, durante o ano lectivo de 2008-2009.

O objectivo é apresentar os temas fundamentais desta tradição multissecular, nos seus aspectos religiosos, éticos e filosóficos. Cada sessão terá uma componente teórica e prática, podendo incluir, além das exposições dos orientadores, questões, debate, períodos facultativos de vivência meditativa, a leitura conjunta de textos e/ou a apreciação de material áudio - visual. Em cada sessão serão fornecidas indicações bibliográficas específicas.

Os participantes podem optar pela inscrição na totalidade do curso ou, caso existam vagas, nas sessões individuais que desejarem, que terão uma unidade própria. A União Budista Portuguesa emitirá no final certificados comprovativos de frequência a quem haja assistido a um mínimo de 8 sessões.Os orientadores - Tsering Paldrön , Paulo Borges e António Teixeira – são praticantes há mais de duas ou três décadas, integram a actual Direcção da União Budista Portuguesa, têm sido instrutores de yoga e/ou de meditação e responsáveis por múltiplas actividades de divulgação do Dharma do Buda (conferências, seminários, traduções, livros). Tsering Paldrön tomou votos religiosos, em 1999, com Kyabje Trulshik Rinpoche.

Programa2008

I - Os Fundamentos da Via de Buda
25 de OUTUBRO – O Buda histórico e a Natureza de Buda. A vida e a Iluminação do Príncipe Siddhartha Gautama. O Sermão de Benares e as Quatro Nobres Verdades: o sofrimento, sua origem, sua extinção e a via que aí conduz ( o Óctuplo Caminho). Ética, meditação e sabedoria. Os Três Cestos: Vinaya , Sutra e Abhidharma. O sentido terapêutico, experimental e não dogmático da Via e do Ensinamento do Buda.

8 de NOVEMBRO – A natureza primordial da mente, a ignorância e o ego. As duas verdades: absoluta e relativa. Ilusão e Libertação. Samsara e Nirvana. Os quatro selos.

22 de NOVEMBRO – Os três ciclos de Ensinamento e os três níveis da Via: Hinayana, Mahayana e Vajrayana. Arahats, Bodhisattvas, Mahasiddhas e Budas. As principais escolas filosóficas budistas. O budismo perante as diferentes tradições religiosas e filosóficas indianas. A história oriental do Budismo e a sua actual expansão no Ocidente.

13 de DEZEMBRO – Vacuidade e interdependência: os doze factores da coprodução condicionada. Impermanência e insubstancialidade do eu. A Via do Meio entre eternalismo e niilismo –

10 de JANEIRO - Vacuidade e interdependência: os doze factores da coprodução condicionada. Impermanência e insubstancialidade do eu e dos fenómenos. A Via do Meio entre eternalismo e niilismo – II.Os Sutras da Prajnaparamita. O Sutra do Coração.

II - A Essência e a Prática da Via de Buda
24 de JANEIRO - O sentido do yoga e das técnicas de meditação. Calma mental (samatha) e visão penetrante (vipashyana).

7 de FEVEREIRO – As quatro meditações fundamentais: 1 - o valor da preciosa existência humana, rara e difícil de obter; 2 - a impermanência e a morte; 3 - a acção (karma) e a lei da causalidade; 4 - os sofrimentos dos seis mundos do ciclo da existência (samsara).

28 de FEVEREIRO – O Refúgio nas Três Jóias, Buda, Dharma e Sangha, e seus benefícios presentes e futuros. O Bodhicitta, ou espírito de Iluminação, relativo – em aspiração e em acção – e absoluto. As quatro meditações ilimitadas: amor, compaixão, alegria e equanimidade. A “troca” e outros exercícios de meditação.

14 de MARÇO – As seis paramitas, virtudes ou perfeições transcendentes: generosidade, ética, paciência, diligência, concentração e sabedoria.

28 de MARÇO – Os Sutras da Prajnaparamita: o Sutra de Diamante.

18 de ABRIL – Os Tantras Budistas: exposição da Visão, dos Métodos e do Resultado da Via de Diamante (Vajrayana).A necessidade de adequada preparação do mestre e do aluno. Tantras externos e internos. A Grande Perfeição.

9 de MAIO - Vida, morte, estado intermediário e renascimento. Como viver melhor a aproximação e o momento da morte e a experiência pós-morte.

O curso terá uma comparticipação total de 220 €uros, a pagar no acto da inscrição.Cada sessão terá uma comparticipação individual de 25 €uros. Metade do curso (50%) terá uma comparticipação de 135 €uros.
Horário: Sábados, 15-19 horas
O presente programa pode estar sujeito a alterações e há limite de inscrições.

UNIÃO BUDISTA PORTUGUESA
Calçada da Ajuda, 246, 1º Dtº, Lisboa
telefone: 21 363 43 63 (a partir das 15h)
www.uniaobudista.pt

19 outubro 2008

O cronista do nosso Rei D. João I, o Mestre de Avis. E no cimo do pedestal... Foto de Luis Santos. Recuerdo de uma inesperada e ternurenta visita a Lisboa.

17 outubro 2008

O Largo da Graça



9. Cidadania

Se amesquinharmos a vida, amesquinhamos o eterno, diz Agostinho da Silva.

Vivemos tempos de neo-liberalismos triunfantes, mas lá virão socialismos de mercado. Iremos continuar a democratizar as democracias.

Generalizadas ideias de competição e de concorrência entre as nações são palavras limitadas que hoje os economistas muito utilizam, mas não todos, porque lhes facilitam as contas...

Enfim, o que é, é. Estamos como estamos.

A torneira roda e lava-se o rosto, o esquentador liga-se e aquece a água, o frigorífico é omni-presentemente frio, a hélice gira e partimos a voar. Milagres da capacidade de pensar. Só a utilização que se dá à indústria militar era dispensável, mas lá chegarão os primos dos rabudos lémures, na justa medida que descobrirem os caminhos do espírito.

Assim, melhoraremos as nossas capacidades de participação social, cooperando em vez de competir, equilibrando mecanismos de troca em vez de concorrer.

De barriguinha bem cheia, aprenderemos melhor a aprender, organizaremos melhor o trabalho (toda a gente sabe que o trabalho dá trabalho de mais, mas pouco se fala nisso, porque ainda não chegou lá a consciência dominante), descobriremos novos e mais interessantes caminhos de cura, abrir-se-ão os caminhos dos anjos.

Na organização política temos de arranjar maneira de instituir o Conselho dos Sábios em vez do Conselho de Estado. Mas o que é um sábio? Será que existem homens sábios capazes de nos ajudar a traçar o caminho?

Se amesquinharmos a vida, amesquinharemos o eterno.
Luis Santos
Nota: Ciclo imagens que dão poemas. Basta clicar em cima da foto.

Sonhos

Marcelino dos Santos, além de poeta, se destaca como nome importante na política de Moçambique, sendo fundador da Frente de Libertação de Moçambique. Após a independência do país, se tornou primeiro ministro do Desenvolvimento, cargo que deixou em 1977. Como Kalugano e Lilinho Micaia (pseudônimos adotados até o final dos anos 1980) publicou antologias poéticas. Com seu nome verdadeiro tem apenas um livro, Canto do Amor Natural (1987). Ele estará presente em Porto de Galinhas no próximo mês de Novembro


Sonho de Mãe Negra

Mãe negra
Embala o seu filho
E esquece
Que o milho já a terra secou
Que o amendoim ontem acabou.

Ela sonha mundos maravilhosos
Onde o seu filho irá à escola
À escola onde estudam os homens

Mãe negra
Embala o seu filho
E esquece
Os seus irmãos construindo vilas e cidades
Cimentando-as com o seu sangue
Ela sonha mundos maravilhosos
Onde o seu filho correria na estrada
Na estrada onde passam os homens

Mãe negra
Embala o seu filho
E escutando
A voz que vem do longe
Trazida pelos ventos

Ela sonha mundos maravilhosos
Mundos maravilhosos
Onde o seu filho poderá viver.

Tudo

video

15 outubro 2008


E se a cerveja entrasse para a Roda dos Alimentos?

Desfaz-se o mito: não há relação directa entre álcool e «barriguinha». Simpósio Cerveja e Peso Corporal apresentou em Lisboa os benefícios da cerveja para a saúde

:: 2008-10-13 Por Marta F. Reis, in Ciência Hoje

Imperiais, finos, louras, pretas, ruivas – em Portugal cada habitante bebe em média 65 litros de cerveja por ano mas pouco se sabe sobre os efeitos da bebida na saúde. Os especialistas ajudam: não é consensual mas há fortes evidências de não haver uma associação directa entre o etanol, e a cerveja em particular, e a adiposidade abdominal, sobrepeso ou obesidade. Este fim-de-semana, em Lisboa, no auditório da Faculdade de Medicina que recebeu o Simpósio Cerveja e Peso Corporal promovido pelo Centro de Informação Sobre Cerveja desfizeram-se os mitos e ficou a recomendação: o consumo moderado, que é como quem diz uma cerveja por dia, ajuda a reduzir o risco de doenças cardiovasculares ou osteoporose e não engorda. (Ver Mais)

O que é a alma?

Alma minha gentil, que te partiste
Tão cedo desta vida, descontente,
Repousa lá no Céu eternamente
E viva eu cá na terra sempre triste.

Se lá no assento etéreo, onde subiste,
Memória desta vida se consente,
Não te esqueças daquele amor ardente
Que já nos olhos meus tão puro viste.

E se vires que pode merecer-te
Algua cousa a dor que me ficou
Da mágoa, sem remédio, de perder-te,

Roga a Deus, que teus anos encurtou,
Que tão cedo de cá me leve a ver-te,
Quão cedo de meus olhos te levou.

(Luís de Camões, Soneto 48 - Segundo o manuscrito da VIII Década de Couto, foi ele inspirado pela rapariga oriental que naufragou com o Poeta na foz do Mécon, ali morrendo afogada.Fonte: www.instituto-camoes.pt/escritores/camoes/soneto15.htm Acesso em 10.01.04)

13 outubro 2008

VIAGENS VIRTUAIS POR PAÍSES LUSÓFONOS

É com grande prazer que vos dou a conhecer algumas viagens virtuais a países lusófonos que integram o Sítio de Apoio ao Ensino e Aprendizagem da Língua Portuguesa e Culturas Lusófonas na Universidade de Montreal, Teia Portuguesa. www.teiaportuguesa.com http://www.teiaportuguesa.com/

Viagem Virtual é uma designação de um instrumento didáctico interactivo na Web que visa, de uma forma simples e atraente, reunir uma série de informações sobre uma região, cidade, país, etc. Por entre as várias viagens virtuais que já produzimos, realçamos as seguintes:

Cabo Verde da autoria de Francine Charron, estudante do Mineur en Langue portugaise et cultures lusophones e Vitália Rodrigues, assistente das aulas de Língua Portuguesa e Culturas Lusófonas na Universidade de Montreal. http://www.teiaportuguesa.com/caboverde/viagemcaboverde.htm

Guiné-Bissau da autoria de Normand Raymond, estudante do Mineur en Langue portugaise et cultures lusophones da Universidade de Montreal e Vitália Rodrigues.
http://www.teiaportuguesa.com/guineebissau/viagemguinebissau.htm

Viagem Virtual a Moçambique da autoria de Silvya Martins, estudante do Mineur en Langue portugaise et cultures lusophones da Universidade de Montreal e Vitália Rodrigues:
http://www.teiaportuguesa.com/mocambique/viagemmocambique.htm

Viagem Virtual a Timor Lorosae da autoria de Kathy Santos, estudante do Mineur en Langue portugaise et cultures lusophones da Universidade de Montreal e Vitália Rodrigues:
http://www.teiaportuguesa.com/TIMOR/indextimor.htm

A supervisão é de Luís Aguilar, professor convidado dos Estudos Lusófonos do Departamento de Línguas e Literaturas Modernas da Universidade de Montreal e docente do Instituto Camões:
Na expectativa de poder contar com as vossas críticas, correcções, sugestões, mudanças, etc., apresento saudações lusófonas.

Luís Aguilar
Professeur invité et Docente do Instituto Camões
Mineur en Langue portugaise et cultures lusophones
Département de Littératures et de langues modernes
Direction de l'enseignement des langues et de cultures étrangèresFaculté des Arts et des sciences
Université de Montréal
Pavillon Lionel-Groulx C-8069
3150 Jean Brillant
C.P.6128, succursale Centre-ville
Montréal (Québec) H3C 3J7
www.teiaportuguesa.com
Tél: (514) 343 6599
Fax: (514) 343 2255

10 outubro 2008

O Largo da Graça



8. O Culto do Corpo… e da Alma

Tenho um amiga que se submeteu a um transplante de um órgão vital. Restavam-lhe poucos dias de vida, conforme lhe anunciara o médico. A cirurgia correu muito bem e ela ganhou a vida.
Será que se pode estabelecer paralelo entre o transplante de órgãos e a cirurgia estética (silicones, botox, etc.)?
Há uma piada antiga que pergunta assim: "Se foste ao cabeleireiro para ficares mais bonita, porque é que não ficaste?”. Um alerta de cuidados a ter com “acrescentos corporais”, sobretudo, os que ficarão para toda a vida.
A manipulação do corpo é negócio antigo. Desde sempre, por todo o mundo, a relação do Homem com o corpo é variada e dá para todos os gostos: tatuagens, furos nas orelhas, no nariz, nos lábios, excisões, pérolas nos cabelos, missangas, conchas de búzios…
Será que se devem colocar limites ao embelezamento do corpo? Será que há relação entre o embelezamento do corpo e da alma?
E já agora: O que é a alma?

O meu amigo Jorge diz que:
- o corpo é o veículo e está ligado à mente, em interacção mútua; a mente é o armazém dos pensamentos e funciona como um rádio; que o espírito é um meio de ligação; e a alma é o que se transforma na nossa sede comum.
Mas lá, que há muito mais, há.
Luis Santos
NOTA: A FOTO DESTE TEXTINHO TEM MÚSICA. EXPERIMENTE CLICAR EM CIMA.

Entenda a Crise do Subprime

Para quem não entendeu ou não sabe bem o que é ou gerou a crise americana,segue breve relato económico para leigo entender...

É assim:

O Ti Joaquim tem uma tasca, na Vila Carrapato, e decide que vai vender copos"fiados"aos seus leais fregueses, todos bêbados, quase todos desempregados. Porque decide vender a crédito, ele pode aumentar um pouquinho o preço da dose do tintol e da branquinha (a diferença é o sobre preço que os pinguços pagam pelo crédito).

O gerente do banco do Ti Joaquim, um ousado administrador formado em curso muito reconhecido, decide que o livrinho das dívidas da tasca constitui, afinal, um activo recebível, e começa a adiantar dinheiro ao estabelecimento, tendo o "fiado" dos pinguços como garantia.

Uns seis zécutivos de bancos, mais adiante, lastreiam os tais recebíveis do banco, e os transformam em CDB, CDO, CCD, UTI, OVNI, SOS ou qualquer outro acrónimo financeiro que ninguém sabe exatamente o que quer dizer. Esses adicionais instrumentos financeiros, alavancam o mercado de capitais e conduzem a operações estruturadas de derivativos, na BM&F, cujo lastroinicial todo mundo desconhece (os tais livrinhos das dívidas do Ti Joaquim).

Esses derivativos estão sendo negociados como se fossem títulos sérios, com fortes garantias reais, nos mercados de 73 países.

Até que alguém descobre que os bêbados da Vila Carrapato não têm dinheiro para pagar as contas, e a tasca do Ti Joaquim vai à falência. E toda a cadeia sifu...deu.

Viu... é muito simples...!!!

(texto enviado por Jorge Angelino)

09 outubro 2008

O Pássaro Preto...

video

DOZE CONSELHOS PARA TER UM INFARTO FELIZ:

1. Cuide de seu trabalho antes de tudo. As necessidades pessoais e familiares são secundárias;

2. Trabalhe aos sábados o dia inteiro e, se puder também aos domingos;

3. Se não puder permanecer no escritório à noite, leve trabalho para casa e trabalhe até tarde;

4. Ao invés de dizer não, diga sempre sim a tudo que lhe solicitarem;

5. Procure fazer parte de todas as comissões, comitês, diretorias, conselhos e aceite todos os convites para conferências, seminários, encontros, reuniões, simpósios etc.;

6. Não se dê ao luxo de um café da manhã ou uma refeição tranqüila. Pelo contrário, coma o mais rápido possível pra não perder tempo e aproveite o horário das refeições para fechar negócios ou fazer reuniões importantes.

7. Não perca tempo fazendo ginástica, nadando, pescando, jogando bola ou tênis. Afinal, tempo é dinheiro;

8. Nunca tire férias, você não precisa disso. Lembre-se que você é de ferro;

9. Centralize todo o trabalho em você, controle e examine tudo para ver se nada está errado. Delegar é pura bobagem; é tudo com você mesmo;

10. Se sentir que está perdendo o ritmo, o fôlego e pintar aquela dor de estomago, tome logo estimulantes, energéticos e anti-ácidos. Eles vão te deixar tinindo;

11. Se tiver dificuldades em dormir não perca tempo: tome calmantes e sedativos de todos os tipos. Agem rápido e são baratos.

12. E por último, o mais importante: não se permita ter momentos de oração, meditação, audição de uma boa música e reflexão sobre sua vida . Isto é para crédulos e tolos sensíveis.

Repita para si: Eu não perco tempo com bobagens.

(Nota: peço desculpa por não referir o nome do autor deste textinho, mas acontece que o perdi.)

05 outubro 2008

5 de Outubro

5 de outubro de 1143, data provável da assinatura do Tratado de Zamora,
o tratado pelo qual D. Afonso VII de Leão reconheceu a independência do então ainda Condado Portucalense. O título de Rei, para D. Afonso Henriques, só viria a ser reconhecido mais tarde, em 1179, com Bula Manifestis Probatus, sob o Pontificado de Alexandre III. O monarca português comprometeu-se a considerar-se vassalo da Santa Sé e a pagar-lhe um censo anual.

5 de outubro de 1910, data da implantação da República portuguesa.
Nos dias 4 e 5 de Outubro de 1910 alguns militares da Marinha e do Exército iniciaram uma revolta nas guarnições de Lisboa, com o objectivo de derrubar a Monarquia. Juntamente com os militares estiveram a Carbonária e PRP (Partido Republicano Português).Na tarde do dia 5 foi proclamada a República à varanda da Câmara Municipal de Lisboa, por José Relvas.
Apesar de alguma resistência e de alguns confrontos militares, o exército fiel à monarquia não conseguiu organizar-se de modo a derrotar os revolucionários. A Revolução saiu vitoriosa, comandada por Machado dos Santos.O último Rei, D. Manuel II, partiu com a Família Real para a Inglaterra, onde ficou a viver no exílio.

5 de outubro de 1968: data a partir da qual o Brasil comemora o Dia da Ave.

(in, dialogos_lusofonos@yahoogrupos.com.br )

03 outubro 2008

O Largo da Graça

7. Ir à Escola...

As nossas escolas reflectem o espírito da organização económica competitiva e concorrencial, neo-liberal, em que vivemos.

Somos aquilo que conseguimos Ser. O resultado das sucessivas reformas educativas que cada "ministro" transporta na lapela... essa tão árdua e difícil tarefa. Será?

Mudámos alguma coisa nas últimas décadas? Creio que sim.

Podemos mudar algumas coisas nos próximos anos? Creio que sim.

No horizonte vejo uma Escola que ajuda pessoas a relacionarem-se com pessoas. Que partilha, que para lá do si percebe da importância dos outros e do mundo, que aprende a estar em Paz, que ama o Amor...

E assim direi que (auxiliando-me de Sua Santidade, o Dalai Lama e do Professor Agostinho da Silva), Uma vez dotados de um precioso corpo humano, nave tão difícil de obter, não devemos amesquinhar a vida, porque senão amesquinhamos o eterno.

Mas o que é isso de ser e-terno?

Luis Santos

Nota: um título que dá poesia... clique em cima do título para ver mais.