25 fevereiro 2009

Explosão raios gama com potência nunca antes observada (ver mais)

Radiação gama ou raio gama (γ) é um tipo de radiação eletromagnética produzida geralmente por elementos radioativos, processos subatômicos como a aniquilação de um par pósitron-elétron. Este tipo de radiação tão energética também é produzido em fenômenos astrofísicos de grande violência. Possui comprimento de onda de alguns picometros até comprimentos mais ínfimos como 10-15/10-18 metros.

Por causa das altas energias que possuem, os raios gama constituem um tipo de radiação ionizante capaz de penetrar na matéria mais profundamente que a radiação alfa ou beta. Devido à sua elevada energia, podem causar danos no núcleo das células, por isso usados para esterilizar equipamentos médicos e alimentos.

A energia deste tipo de radiação é medida em Megaelétron-volts (MeV). Um Mev corresponde a fótons gama de comprimentos de onda inferiores a 10 - 11 metros ou frequências superiores a 1019 Hz.

Os raios gama são produzidos na passagem de um nucleon de um nível excitado para outro de menor energia e, na desintegração de isótopos radioativos. Estão geralmente associados com a energia nuclear e aos reatores nucleares. A radioatividade se encontra no nosso meio natural, desde os raios cósmicos que bombardeiam a Terra provenientes do Sol e das Galáxias de fora do nosso sistema solar, até alguns isótopos radioativos que fazem parte do nosso meio natural.

Os raios gama produzidos no espaço não chegam à superfície da Terra, pois são absorvidos na parte mais alta da atmosfera. Para observar o universo nestas frequências, é necessária a utilização de balões de grande altitude ou observatórios espaciais. Em ambos os casos se utiliza o efeito Compton para detectar os raios gama. Estes raios são produzidos em fenômenos astrofísicos de alta energia como em explosões de supernovas ou núcleos de galáxias ativas.

Em astrofísica se denominam erupções de raios gama (Gamma Ray Bursts) as fontes de raios gama que duram alguns segundos ou algumas poucas horas, sendo sucedidas por um brilho decrescente da fonte em raios X. Ocorrem em posições aleatórias do céu e sua origem permanece ainda sob discussão científica. Em todo caso parecem constituir os fenômenos mais energéticos do universo.

A radiação gama é usada nos exames da medicina nuclear, nomeadamente nas Tomografias por Emissão de Positrões (PET). Ela é detectável com uma câmera gama.

A radiação gama ficou mais conhecida depois que Stan Lee, criou o personagem das histórias em quadrinhos Marvel, o Hulk; representado por um homem chamado Bruce Banner que foi atingido por Raios Gama e que toda vez que fica com raiva vira um monstro denominado Hulk.

(in, Wikipédia)

24 comentários:

Anónimo disse...

Olá Luis Carlos, Viva!

Ainda te lembras? (Joana E.S)

Um blog muito bonito o teu!

Parabéns!

Se quiseres passa também no meu.

http://poesiajoespiritosanto.blogspot.com/

luis santos disse...

Olá Joana, que raio de pergunta. Amigo é para sempre. Com certeza que vou por lá passar. Muito satisfeito fico com a tua presença.

Beijinho,
Luis Carlos.

Jo disse...

Desculpa a pergunta, Lol.
São vestígios do tempo.
Realmente a amizade é algo que fica, qualquer coisa que o tempo por muito que fuja não pode esquecer.
A memória está lá, presa e contente.
Obrigada por teres estado presente nalguns momentos especias.

luis disse...

Sendo livre estando presa. Ou, como dizia há pouco o Eduardo, o senhor teu pai, tendo até a liberdade de não ser livre. É obra.

Anónimo disse...

Eu não sei como é que ele te dizia...lol

Mas pensando cá para o meus botões e um bocadinho mais mais alto, o que é isso da liberdade?

Só o facto de estarmos vivos já nos prende a qualquer coisa, nem que seja à necessidade de sobreviver, ou de viver na melhor da hipóteses.

Quando não são as necessidades básicas que temos desde o nascimento até à morte, ou até mesmo (antes do nascimento),
são os afectos, as facturas, os projectos...
Quando não é o presente é o passado, quando não é o passado é o futuro.
Encontros, desencontros...
Sim, mas estar preso e contente a algum momento precioso, na correria da vida é daquelas coisas boas que ficam, que só um bom amigo pode dar.
Bem-hajas

luis disse...

Estava a falar da liberdade de ter um livro para ler e não o fazer... Bem, o Pessoa hoje não deixa sozinho. Acha que é por te teres anunciado, poesia.

luis disse...

Lá foi erro. Queria dizer, o Pessoa hoje não me deixa sozinho. E logo hoje que é o dia do Anjo da Guarda. Disseram-me à pouco e eu acreditei...

Anónimo disse...

Olá :)

Luis, tenho uma centena de poemas escritos que andei a esculpir lentamente de forma a que eles ganhassem um pouco mais de vida e pudessem respirar.
Ainda me pergunto muitas vezes o que deverei fazer com eles... mas como, também me surgiu a ideia de um Romance ou coisa parecida, tenho lhes dado uma importância que ainda não sei bem se eles realmente têm; acontece que de à uns tempos para cá, experimentei uns concursos, uma ou outra vez, e ficava assim num quinto ou sexto lugar entre boas centenas, como se veio a verificar. E como tudo depende das premiações, e isso varia de concurso para concurso, na maior parte das vezes eles, pelo menos, (em dois a que eu concorrí), queriam que eu depois da publicação nos ditos livros, andasse a vender aos amigos, e eu, deixei-me disso, aliás desiti na hora.
Ultimamente tenho tido conhecimento de outros, com outras regras, mas a base é a mesma:
Não ter poemas publícados em fonte alguma, seja livros, jornais, internet, etc, com o risco de se ser desclassificado.
Como uma vez ou outra me dá uma vontade de concorrer não quero ficar limitada e por isso optei por não os colocar em blogues e tudo mais.
O que eu ponho no meu blog,é portanto quase nada.
Salvo aqueles que eu já sei que não vão a concurso de espécie alguma.
Mesmo assim vou pensar num poema, para colocar no teu blog.
Num momento de inspiração...
Bjs Jo

Anónimo disse...

Ha, ha, ha...

Reparei que falamos em tudo, menos na explosão raios gama com potência nunca antes observada....

lol(mesmo para rir!)

Até
Jo

luis disse...

A poesia é de difícil publicação, porque vende pouco e não dá lucro. A não ser no regime em que dizes: pagar a edição ou vender livros para realizar o dinheiro.
A publicação de romance também não é nada fácil, mas nada que se compare com a poesia.
Ir publicando uns poemas na net é uma forma de darmos a conhecer a nossa arte e partilhá-la com outros. Não me parece que constitua grande óbice a divulgação de alguns poemas. Se eles um dia merecerem honras(?) de maior divulgação no comércio dos livros não será isso que irá constituir problema.
Mas, de forma alguma, estou com isto a forçar publicações não desejadas. A tua vontade é para mim o que mais interessa e não tenhas nenhuma preocupação com isso.

Anónimo disse...

Quase ao mesmo tempo!

Eu vou pensar em algo, de resto não pode ser uma coisa qualquer...

Algum tema?

Anónimo disse...

Quase tudo começou com a palavra liberdade.

Talvez algo sobre a liberdade, que te parece?

Anónimo disse...

(Errata)

Ah Ah Ah...(foi a brincar).

Jo

luis disse...

Também, que tema mais difícil para falar: raios gama. O Ah, Ah, Ah, soou-me bem. O riso é fundamental! O tema é livríssimo.

Anónimo disse...

Mande-te um poema para o teu mail.

o meu edereço de emil é:
Espiritosantojo@hotmail.com

Bjs Jo

Anónimo disse...

(errata)

mandei-te um mail.

puxa! ando mesmo!... com a cabeça na lua.

bjs Jo

Anónimo disse...

o meu endereço de email...

Bjs e até
Jo

luis disse...

Tão habituado eu estou em enviar mensagens com pequenos erros que não estranho.
Enviei resposta ao poema que enviaste. Recebeste?

Anónimo disse...

Sim, já respondi.

Aquilo não foi bem formatado, parece-me.

Promenores.

Tudo OK.

bjs Jo

Anónimo disse...

...pormenores...

Anónimo disse...

...pormenores...

Jo

Anónimo disse...

Beijinhos, Luis, e obrigada pela oportunidade.
Jo

Anónimo disse...

Boa noite.
Por aqui, houve mais uma explosão de emoções ao ivens de uma explosão de raios gama. As conversas são como as cerejas.
gal

luis disse...

E não foi só por aqui...