07 março 2009

Muro de Histórias(poesia), 2002


Capa de José Pereira (Zeca)
óleo sobre tela

11 comentários:

Anónimo disse...

Interessante a capa. O Luís tem imensos livros publicados. Estão à venda em qualquer livraria?
gal

luis disse...

Se reparar na listagem dos títulos que faço separo-os em Livros e Livrinhos.

Os Livros estão todos editados, embora não sejam de circulação comercial. As edições são de vários tipos como pode ver nas referências bibliográficas, mas podem dividir-se entre edições em papel e edição digital (os de poesia editados neste príoprio blogue).

Os Livrinhos são todos editados pela casa (CEAV - Casa de Estudos de Alhos Vedros)e têm uma tiragem muito pequenina que se traduz em ofertas para os amigos. De facto, desde há muitos anos tenho o hábito de, geralmente, pelo Natal oferecer livros aos amigos com algumas coisas que fui nescrevendo durante esse ano.

Resumindo:

Não tenho nada publicado em editoras de nome, nem com significativas distribuições comerciais. Sinto que as coisas estão bem assim e, por isso, pouco fiz para que elas fossem de outra maneira. E, provavelmente, mesmo que tentasse não teria conseguido grande coisa...

Portanto, trata-se de uma escrita muito experimental, de poucas pretensões, mas sem vergonha suficiente para que não se possa mostrar. Fui claro?

Ainda bem que me pôs a questão não fosse alguém criar falsas expectativas. Bem haja.

Anónimo disse...

claríssimo (leva acento?)!!! E ainda bem que não tem vergonha de mostrar o que escreve, Luis.
bj
gau

Anónimo disse...

Quanto ao acento, na generalidade leva, mas neste caso não. O que também altera a sonoridade da leitura. Reparou?

Luis

luis disse...

Vá à Livraria Uni Verso, em Setúbal, por detrás da Câmara Municipal. Se tiver curiosidade, lá talvez encontre alguma coisa da minha autoria.

Anónimo disse...

Mas essa é a "minha" livraria. Fico sempre a bater um papinho com o empregado, que é um tipo bem porreirinho.
O que lhe disse eu em relação aos erros...é uma vergonha!!!
gau

luis disse...

Estou com a sensação que em relação aos erros estamos a falar de coisas distintas...Não interessa.

Já quanto à Livraria temos gostos comuns e, isso sim, é muito importante. O fulaninho que chama empregado é dono e mais que porreirinho, para mim, é um Amigo.

Bem, pode-lhe perguntar se ele ainda tem algum dos meus livros.

Anónimo disse...

Sempre pensei que era o empregado da livraria. Eu e ele temos um amigo comum, que também pinta e que costumava ter algumas telas dele lá expostas. Falo do João Mendão.

Quanto ao seu amigo, tenho dele uma opinião muito positiva.Gosto de lhe pedir opinião sobre os livros. E quando eu estudava, chegou a deixar-me fotocopiar partes de livros.

Hei-de lá passar sim senhor! Mas sabe, descobri que, afinal, tenho um livro seu aqui em casa; chama-se: "Do Convento" e outro de A. da Silva "namorando o amanhã". Começo a acreditar que o mundo é mesmo pequeno...
gau

luis disse...

Tem lá um outro, porventura, mais interessante que se chama "O Estandarte da Paz". Acho que o João Raposo ainda lá o tem.

Conheço o João Mendão. Gosto muito das suas esguias bailarinas e das flautas mágicas sopradas pela brisa da tarde...

Anónimo disse...

Luis, acho que num momento qualquer da minha vida já me devo ter cruzado consigo...

luis disse...

Também começo a achar que sim. Bem, logo se verá...