10 outubro 2007

Uma Língua de Fogo

7.

Tão depressa agora se muda
o que durou e perdurou por anos e anos
por muitos e muitos anos,
aqui o que era e ainda é
afinal já não é,
lá se vão num repente
os legados dos nossos antepassados,
é uma velha ordem que vai
e da velha ordem
há uma nova ordem que sai

É um pequeno brinquinho a mais
por baixo de cabelos ás cores,
é um casa e descasa
por baixo dos cobertores
e a cultura local mistura-se
com a cultura universal,
mas é ainda o ouro que reina
a lei da pistola contra a fome
a inveja por se achar de direito,
e o homem caminha às avessas
apressado, magoado e desconfiado

E da velha ordem que vai
há uma nova ordem que sai,
mas ainda uma ordem tão fraca
tal e qual do tamanho do homem
de tão pouca ambição
de tão pouco querer
que no lugar da eternidade
antes prefere morrer
quase ainda acabado de nascer.

1 comentário:

Unknown disse...

Boa noite!
Encontrei seu blog pelo sistema BlogBlogs. Visitei e gostei muito. Que tal fazermos uma parceria, via troca de link, visando expandir as fronteiras de nossos blogs?

Eu e Rita Costa temos esses blogs abaixo:

http://poemasdeandreluis.blogspot.com [ Gritos Verticais ]
http://poeticaheretica.blogspot.com [ P�tica Her�tica) ]
http://gritosverticaisdanaturezapoetica.blogspot.com [ Raiz de Cem ]
http://sonsdesonetos.blogspot.com [ Sons de Sonetos ]
http://prosaepoesia.wordpress.com [ O Poema Nosso de Cada Dia ]

http://ritacosta-almadepoesia.blogspot.com [ Alma de Poesia ]
http://natureza-poetica.blogspot.com [ Natureza Po�tica ]

Caso se interesse, envie email para Direitos.autorais2006@gmail.com ou deixe recado em coment�rios no blog.

Obrigada.
Grande abra�o!